. : Notícias
busca por notícias/mensagens
 
 
 
 

Segunda Visita de Divaldo à Nova Zelândia


Em uma típica noite chuvosa de segunda-feira, a cidade de Auckland recebeu, pela segunda vez, a visita do grande palestrante e incansável trabalhador espírita, Divaldo Pereira Franco, um dos mais importantes Embaixadores Mundiais da Doutrina Espírita.

Dois anos se passaram desde sua primeira visita, quando a semente foi plantada e se tornou o Allan Kardec Spiritist Group of New Zealand – AKSGN – Grupo Espírita Allan Kardec, da Nova Zelândia.

O grupo iniciou em 2005 com o nosso querido Eduardo Araújo, que estava vivendo com sua família neste país, organizando reuniões em sua casa, na área central de Auckland. Logo após o início das reuniões, o grupo teve sua primeira oportunidade de receber Divaldo para uma palestra. Ele deu instruções e sugestões para a melhoria de nossas reuniões e, após a partida de Eduardo, no início de 2006, o AKSGNZ estava motivado para continuar seus encontros semanais.

A oportunidade de receber Divaldo pela segunda vez também aconteceu por intermédio de esforços da igualmente dedicada trabalhadora Gloria Collaroy, da Casa dos FranciscanosFundação Joana de Cusa, de Sydney, Austrália, pois ela ajudou e facilitou sua viagem após uma semana de compromissos em Sydney e Melbourne.

O tema selecionado foi 150 Anos de Espiritismo e o Encontro da Paz e Saúde, com um interessante histórico da Doutrina, ótima introdução aos kiwis (neo zelandeses) e aqueles que não falam português como primeiro idioma e que estavam presentes. É importante mencionar que, com uma média de 100 pessoas, ao menos metade eram estrangeiros, mostrando que a Doutrina vai além de barreiras de idioma e cultura, por ser universal.

O grupo agora está consolidado com membros permanentes. Conseguiu a expansão de sua biblioteca, com títulos em português e inglês, graças à generosa doação do CEI – Conselho Espírita Internacional, do Grupo Espírita de Brighton (Inglaterra), de Gloria Collaroy e de Eduardo Araújo, entre outros. Também cresceu em experiência e determinação para seguir evoluindo e aprendendo uns com os outros.

As palavras de Divaldo, ao final de sua palestra, definem não somente nosso grupo, mas a maioria dos grupos dentro e fora de nosso país: No Brasil somos mais de 7 milhões, com uma média de 30 milhões de simpatizantes, todos trabalhando para construir um mundo melhor. Nós não vivemos da religião. Nosso trabalho é gratuito, seguindo os passos de Jesus, que disse “o bem é bom para aquele que o pratica.”

Roberto Drummond

Fonte: Jornal Mundo Espírita - Novembro/2007

 
     
 
 
 
. Últimas Notícias

 
 
 
Documento sem título