. : Notícias
busca por notícias/mensagens
 
 
 
 

Congresso da Associação Médico-Espírita de Minas Gerais – AME/MG



Comemorando seus 30 anos de existência, a AME/MG realizou, nos dias 20 e 21 de agosto de 2016, seu Congresso Anual, no Centro de Convenções do Hotel Dayrell, em Belo Horizonte, MG, para cerca de mil e seiscentos participantes, com o tema central O homem sadio.

Revezaram-se na tribuna quinze palestrantes, que discorreram sobre os mais variados temas em torno da saúde.

Na noite do dia 20, Divaldo Franco emocionou ao narrar, com sua maestria habitual, o evento ocorrido em 11 de abril de 1950, quando um grupo de Espíritos Superiores homenagearam, no Plano Espiritual, os 50 anos do retorno à Pátria Espiritual do Espírito Bezerra de Menezes.

Descreveu o cenário das homenagens com tanta vivacidade e emoção que todos se sentiram transportados para esse encontro.

Espíritos como Léon Denis e Manoel Vianna de Carvalho discursaram, referindo toda devoção e abnegação do homenageado em atender aos necessitados de amor e auxílio, em ambos os Planos da Vida, nos quase 70 anos vividos na Terra.

Surgiu, então, para surpresa dos participantes dessa assembleia, Celina, porta-voz de Maria de Nazaré, trazendo uma mensagem disponibilizando ao Médico dos Pobres a oportunidade de uma tarefa maior em esfera superior, na qual a dor e as angústias típicas de um planeta de provas e expiações, como a Terra, já não mais existiam.

Emocionado, Dr. Bezerra chora e, em seguida, ajoelha-se diante da porta-voz de Maria Santíssima e lhe suplica para poder continuar sua modesta tarefa junto aos sofredores da Pátria do Cruzeiro.

Nesse instante, um facho de luz incide sobre a assembleia, uma mão generosa se materializa no céu estrelado e, segurando uma pena, autoriza Bezerra a continuar sua trajetória de amor e abnegação consagrando-se a levar a tantos sofredores o bálsamo e a consolação do Evangelho de Jesus redivivo pela Doutrina Espírita.

A emoção tomou conta do imenso auditório em Belo Horizonte.

No encontro seguinte, Divaldo Franco abordou Jesus, o Médico das Almas.

Iniciou sua abordagem falando a respeito de Joseph Ernest Renan (1823-1892) escritor, filósofo, teólogo e historiador francês que publicou, em 1861, a obra  Vida de Jesus.

Em 1862, foi nomeado professor de hebraico no Collège de France mas, após a primeira aula, seu curso foi cancelado, pela simples razão de ter chamado Jesus de um homem incomparável pois, ao considerar Jesus um homem contrariava os dogmas da religião dominante.

Divaldo Franco recuou aos tempos de César, Marco Antônio e Cleópatra e, em uma viagem maravilhosa, foi relatando os acontecimentos que antecederam a chegada de Jesus entre nós. Descreveu o ambiente político da época, discorrendo sobre Herodes, o Grande e suas ações nefastas para manter o poder.

Relatou os acontecimentos envolvendo Ignácio de Antioquia que, levado preso para Roma, na via Ápia se extasia com a cena maravilhosa que se lhe descortina diante dos olhos, ao contemplar o sol nascente refletindo no mármore das construções suntuosas, dizendo:

Estou radiante de alegria pois se Deus concede aos romanos venais e sensuais paisagem tão bela, imagino o que estará reservando àqueles que O amam.

Neste momento de transição planetária, concluiu Divaldo, onde as dores se tornam mais acerbas e os convites para eleger Mamom se avolumam, paira a doce figura do Mestre Jesus indicando-nos o caminho e servindo de referência para as nossas ações e pensamentos.

No ambiente saturado de doces vibrações, a voz de Divaldo foi se alterando suavemente e Dr. Bezerra de Menezes se manifestou, psicofonicamente, em convite a deixarmos os erros do passado e agirmos de conformidade com os ensinamentos do Mestre Nazareno que, de há muito, aguarda nossa transformação, mediante a vivência contínua de Seus ensinamentos.

Lentamente, a multidão, luarizada pelas palavras e recomendações ouvidas foram deixando o local.

Djair de Souza Ribeiro.
Em 24.8.2016.

 
     
 
 
 
. Últimas Notícias

 
 
 
Documento sem título