. : Notícias
busca por notícias/mensagens
 
 
 
 

Divaldo Pereira Franco na Cidade Franciscana de Quito



Tudo aconteceu de repente! Uma visita surpresa, porém, muito bem recebida por todos os que têm a honra de conhecer Divaldo Franco.

Depois de uma exaustiva viagem pela Grécia, passando apenas poucos dias em Salvador, Bahia, Divaldo chegou, na noite de 22 de julho de 2016, à cidade de São Francisco de Quito, capital do Equador, país localizado no centro do mundo.

No dia seguinte, 23, teve um Encontro Fraterno, com perguntas e respostas, na Fundação Espírita Luz  Fraterna, esclarecendo à luz da Doutrina Espírita e com breves e interessantes histórias, os vários temas que lhe foram propostos. Ponto relevante foi o relacionado à influência de Francisco de Assis sobre as pessoas, na atualidade. Indagado, Divaldo respondeu se referindo ao seu exemplo de humildade, desprendimento, ao não simplesmente dar mas dar-se a si mesmo, o que sempre caracterizou o Santo de Assis.

No domingo, 24, visitou o Centro Histórico de Quito, declarado Patrimônio Cultural da Humanidade, pela Unesco, em setembro de 1978. Posteriormente, esteve no El Panecillo, uma elevação natural de 3.000 metros acima do nível do mar, situado no coração da cidade, de onde se pode avistar quase toda a cidade, com a escultura gigante da Virgem de Quito, em alumínio, em sua parte central.

O dia 25 foi dedicado à visita às instalações da Fundação Espírita Luz Fraterna a fim de conhecer melhor o Programa de Apoio Terapêutico e Ocupacional para pessoas autistas, desenvolvido pela Fundação.

À noite, proferiu a conferência Psicologia da gratidão, para um auditório de tal lotado, que várias pessoa permaneceram em pé.

O Semeador de estrelas expôs, de maneira extraordinária a respeito do sentimento de gratidão, convidando, com suas palavras, a reflexões em torno do tanto que devemos agradecer por tudo que nos rodeia: a água, o ar, as flores.Pelos nossos olhos, ouvidos, mãos, que nos permitem perceber a beleza de cada dia e, principalmente, pela oportunidade da reencarnação, que nos é dada  para melhoria e evolução moral.

Finalizou declamando o formoso Poema da Gratidão, do Espírito Amélia Rodrigues, levando muitos dos presentes a lágrimas de felicidade.

A caminho do aeroporto, no dia 26 de julho, Divaldo teve a despedi-lo uma encantadora paisagem composta pelas montanhas, um sol cálido e um céu de azul profundo, tendo ao fundo um colorido arco-íris.

Divaldo partiu de Quito, fisicamente. Ficou, para sempre, nos nossos corações.

Mayra Cortés
Tradução de Maria Helena Marcon.
Em 31.7.2016.

 
     
 
 
 
. Últimas Notícias

 
 
 
Documento sem título