. : Notícias
busca por notícias/mensagens
 
 
 
 

Conferência em Cartagena, Colômbia, 8.6.2016 - Diana Burgos



Em continuidade às comemorações do 22º aniversário do Centro Espírita Joanna de Ângelis, de Cartagena, Colômbia, a 8 de junho de 2016, Divaldo Pereira Franco proferiu Conferência, no auditório do Hotel Dorado Plaza, sobre Reencarnação e Justiça Divina.

Iniciou sua fala, com as palavras do filósofo grego imortalista Pitágoras: A alma é uma chama oculta. Quando lhe colocamos os santos óleos do amor, ela se ilumina toda. Quando nos descuidamos, diminui a sua claridade, desaparece e se extingue.

A vida é única, mas as existências corporais são muitas. Entramos e saímos do corpo com a mesma naturalidade com que vestimos determinada vestimenta e depois a abandonamos. Vamos acumulando experiências, apresentando conquistas positivas em cada etapa, diminuindo as negativas na medida em que logramos aprendizado.

Ao estudar a criatura humana, Allan Kardec a apresentou como um corpo, períspirito e Espírito. Ao perispírito compete manter a memória, as conquistas, as atitudes.

Sequencialmente, Divaldo apresenta as diferentes posturas com relação à reencarnação no Egito, a Grécia antiga, a Índia.

Jesus ensinou a reencarnação, falando da multiplicidade das existências, conforme se encontra no Evangelho de João, que narra seu encontro com Nicodemus, asseverando que é necessário nascer de novo, da água e do Espírito, para entrar no reino dos céus.

O que é nascer da água? Refere-se à primeira forma de manifestação de vida animal – a união do espermatozoide, uma partícula gelatinosa, com o óvulo, outra gotícula d´agua, que forma o ovo.

A reencarnação somente foi retirada do Evangelho no ano de 553, no Concílio de Constantinopla.

Enfatiza a questão da liberdade de semeadura e obrigatoriedade da colheita e de que a Doutrina Espírita nos recomenda a caridade moral, de ternura, de amor ao próximo, de ajuda, de trabalho, de cultura, de desenvolvimento da cidadania.

Encerra com a oração de Francisco, o Sol de Assis.

            Diana Burgos.
Tradução sintetizada de
 Maria Helena Marcon.
Em 24.6.2016.

 
     
 
 
 
. Últimas Notícias

 
 
 
Documento sem título