. : Notícias
busca por notícias/mensagens
 
 
 
 

Encontro Fraterno com Divaldo Franco - 17.10.2015


Na radiante manhã de 17 de outubro [2015], o Encontro Fraterno com Divaldo Franco  teve continuidade com o tema: O Ser Humano e a Natureza. O momento artístico esteve sob a responsabilidade do violoncelista Diego Carneiro Oliveira e do barítono Maurício Virgens.

O trabalho desenvolvido por Divaldo foi dedicado a Francisco de Assis, Benfeitor da Humanidade. A homenagem visou destacar tudo o que Francisco de Assis representa para os cristãos, todo o seu trabalho em favor das criaturas de Deus, da natureza, a Jesus e a Deus, bem como pela sua expressão maior, o amor.

Para a sequência do tema, apresentaram-se os psicólogos Marlon Reikdal e Cristiane Beira. Marlon discorreu sobre o cultivo das emoções, particularmente sobre a projeção como impedimento para o amor ao próximo.

Cristiane Beira reforçou a máxima de Jesus de se amar a Deus e ao próximo, tanto quanto se possa amar. A proposta é deixar o ranço do passado, das próprias iniquidades, e assumir a realidade do que realmente se é. 

Em noite agradabilíssima, e estando todos reunidos no Salão de Eventos Garcia D’Ávila, Giovana e Priscila Beira, acompanhadas pelo pianista Mateus, interpretaram belas melodias. Foram momentos de puro encantamento.

Divaldo, inspirado como sempre, apresentou uma perfeita descrição física e social de Francisco de Assis, Benfeitor da Humanidade.

Com sua magistral interpretação e riquíssimos comentários, declamou o poema, Cântico das Criaturas, de São Francisco de Assis:


Altíssimo e Onipotente Bom Senhor

Teus são os louvores, a glória, a honra e toda a bênção.

 

A Ti somente, Altíssimo, eles convêm

E nenhum homem é digno de Te imitar.

 

Louvado sejas, meu Senhor, com todas as Tuas criaturas

Especialmente o senhor irmão Sol

O qual faz o dia e por ele alumia.

E ele é belo, radiante, com grande esplendor de Ti.

 

Louvado sejas, meu Senhor, pela irmã Lua

Pelas estrelas que no céu formaste-as claras, preciosas e belas.

 

Louvado sejas, meu Senhor, pelo irmão vento   

Pelo ar, pela nuvem, pelo sereno e todo tempo

Pelo qual dá às Tuas criaturas o sustento.

 

Louvado sejas, meu Senhor, pela irmã água

A qual nos é muito útil, úmida, preciosa e casta.

 

Louvado sejas, meu Senhor, pelo irmão fogo

Pelo qual iluminas a noite, ele é belo robusto e forte

Louvado sejas, meu Senhor, pela nossa irmã a mãe Terra

A qual nos sustenta, governa e produz diversos frutos, flores coloridas e ervas.

 

Louvado sejas, meu Senhor, pela nossa irmã a morte corporal

Da qual nenhum vivente pode escapar.

 

Bendito aquele que se encontra na Tua Santíssima Vontade

Ao qual a morte não fará mal.

 

Louvai e bendizei o meu Senhor

Agradecei e servi com grande humildade.

Divaldo Franco finalizou o belo trabalho com um momento de visualização.

Paulo Salerno.
Em 22.10.2015.

 
     
 
 
 
. Últimas Notícias

 
 
 
Documento sem título