. : Notícias
busca por notícias/mensagens
 
 
 
 

Ampliando os horizontes espirituais da Terra - Parte I


Desde há vinte e seis anos que Divaldo Franco vem realizando uma jornada especial de divulgação espírita por diferentes países europeus.
O labor formoso teve início quando, atendendo a um convite do arquiteto suíço André Studer, Divaldo proferiu uma conferência e realizou um seminário de dois dias no G19 – Stiftung zur Förderung Globalen Bewusstseins (Fundação para o fomento da consciência global), para estudiosos dos fenômenos paranormais e outros.
Embora já houvesse estado anteriormente no velho continente, onde apresentara conferências em diversos países, a partir desse empreendimento notável é que surgiu a oportunidade de ser realizado um trabalho expressivo e contínuo. A princípio, na própria Suíça, visitando Berna, Winterthur, Saint Gallen, Genebra e outras cidades, depois acrescentando Viena (Áustria), logo após, Alemanha, as então Repúblicas Checo e Eslováquia e, mais recentemente, contam-se por mais de treze países as realizações, no que se convencionou denominar como a temporada europeia de divulgação do Espiritismo, embora, fora dela, ainda viaje ao continente outras vezes cada ano.
No corrente ano, iniciando a atividade no dia 09 de maio – somente a partir de 14 anos é que o temos acompanhado nesse mister – saímos de Salvador com destino a Londres, no dia 07, dirigindo-nos a Lisboa e, de lá, à capital da velha Albion, onde chegamos ao entardecer do dia 08, sendo recebidos por Elsa Rossi, presidente da British Union Spiritist Society  e de Patrícia, que nos conduziram ao Hotel Renaissance, no aeroporto de Heathrow, a fim de facilitar o nosso deslocamento, no dia seguinte, a Dublin, a velha capital da Irlanda.
 
DUBLIN
 
No dia 09/05, acompanhados por Ana Sinclair, a querida tradutora do Divaldo no Reino Unido e de Gerson, viajamos a Dublin, onde nos aguardavam os queridos amigos e confrades diretores do Spiritism Society of Ireland. Na jornada de 2010, lá estivemos pela primeira vez e Divaldo proferiu memorável conferência que a todos sensibilizou, havendo dedicado parte do tempo, após a mesma, a responder questões formuladas pelos membros do Grupo Espírita, que as aplicaram durante os meses seguintes, constituindo-se então numa entidade respeitável, profundamente fiel aos postulados da codificação kardequiana.
A conferência teve lugar no mesmo hotel central em que nos hospedamos, conforme ocorrera da vez anterior, e o tema elegido foi Planetarian transition, para um público constituído por 216 pessoas muito interessadas. O salão nobre havia sido reservado para 150 pessoas e compareceram 216, que, excedendo o limite, sentaram no solo, quase amontoadas e permaneceram por 1h30 minutos até o intervalo, após o qual houve perguntas e respostas e uma profunda reflexão enquanto se ouvia a música Miserere de Gregório Allegri, que a compôs no século XVI e que Mozart, escutando-a, na Capela Sistina, memorizou-a e repetiu-a na partitura, sendo hoje a que se tem gravada.
A música está comentada no livro de autoria do Espírito Manoel Philomeno de Miranda, intitulado Transição Planetária, num dos seus primeiros capítulos, sendo um convite ao encontro com a espiritualidade.
Ao terminar, havia um clima da mais legítima fraternidade e encantamento, sendo-nos apresentado convite para retornarmos no próximo ano...
 
INGLATERRA
 
No dia 10 retornamos a Londres, onde tivemos que enfrentar o terrível tráfego do aeroporto ao hotel onde ficamos. Em consequência, não nos restou tempo nem sequer para uma refeição ou repouso, pois que, logo mais, tivemos de deslocar-nos para o Teatro Oxford House, onde se deu o encontro com 150 trabalhadores dos 10 grupos espíritas da cidade, reunidos pelo BUSS (British Union Spiritist Society). Nada obstante, os interessados preencheram uma lista de espera de mais de 50, para os quais não havia lugar, porque se tratava de uma reunião especial, que transcorreu num clima de elevada espiritualidade.
A reunião foi iniciada às 19h com a prece proferida por Janet Duncan, pioneira do movimento espírita em Londres; logo após, foi realizada a apresentação de Divaldo e início da palestra que teve como tema: O ser humano em busca de si mesmo, com a tradução sempre excelente de Ana Sinclair, durante 70 minutos. Houve muita interação com o auditório, que aplaudiu o orador com entusiasmo.
Houve um intervalo de 15 minutos, após o qual foram sorteadas frases célebres que todos receberam, ganhando alguns um livro em inglês.
Prestaram-nos homenagens mediante um DVD narrando os 26 anos de visitas ininterruptas de Divaldo à Inglaterra, enquanto nós outros, há apenas 15 anos, sendo o querido irmão grande responsável pela divulgação da doutrina espírita no país, considerando-se que ele realizou visitas a diversas cidades.
Logo após, foi repetida a experiência da reflexão com a música de Gregório Allegri, qual ocorreu em Dublin, com comovedores resultados. Ao terminar, todos saíram em paz, reflexionando em torno da vida.
Retornamos ao hotel extenuados, mas profundamente felizes.
No dia 11, pela manhã, John e Eugene, que nos conduziram em Londres gentilmente, levaram-nos, às 18h., a Conway Hall, o grande salão de conferências, para a abordagem do tema elegido, que foi o mesmo de Dublin.
Existe uma grande preocupação no ocidente, em especial com relação à questão propalada a respeito do fim do mundo, especialmente com as informações inverídicas do calendário maia, prevendo-lhe a data de 12 de dezembro de 2012...
Há, na criatura humana, uma tendência para a tragédia e o infortúnio, que a faz pensar sempre nos acontecimentos funestos, embora todas as grandiosas manifestações de beleza do universo e do amor de Deus.
Divaldo sempre chega aos locais das conferências com uma hora de antecedência, a fim de atender as pessoas que desejam um contato fraterno, autógrafos, um pouco de sua convivência.
No momento aprazado, Joana, a jovem virtuose portuguesa, tocou ao piano, acompanhada por harpa três números clássicos, iniciando-se a solenidade que contou com o maior público nesse auditório para uma atividade espírita. Esteve presente o presidente da Sociedade de Psiquiatria de Londres, que se tornou admirador do nosso Divaldo, desde quando ambos realizaram um seminário, nesse mesmo local. Fizeram-se presentes 412 pessoas que se acomodaram com dificuldade.
Elsa Rossi proferiu a prece de abertura, o mestre de cerimônias apresentou Divaldo com muita beleza, e traduzido pela excelente Ana Sinclair, o nosso irmão realizou um trabalho excepcional, sendo aplaudido várias vezes. A abordagem otimista a respeito da transição planetária, com alguns rápidos e pedagógicos chistes que provocavam saudável riso, prolongou-se por 1h50minutos, quando foi concedido um intervalo, após o qual, em razão do horário de encerramento da atividade, foram respondidas somente quatro importantes questões.
Demoramo-nos em confraternização e retornamos ao hotel.
 
FRANÇA
 
No dia 12, despertamos às 6h., logo seguindo à estação de St. Pancras, a fim de tomarmos o Eurostar para Paris, despedindo-nos dos nossos queridos amigos, convidados oficialmente para futuro e próximo retorno.
Em Paris, aonde chegamos às 12h20, fomos recepcionados por Dominique e Manoel, que nos conduziram ao lar de Armandina Dias, em Vitry-sur-Seine, onde nos hospedamos. Às 20h., realizamos o estudo do Evangelho no lar, pois que é a sede temporária do Groupe d´Etudes Spirites Joanna de Angelis com a presença dos seus membros. A irmã Zelina veio especialmente de Luxemburgo, a fim de participar da temporada na França e participou da nossa reunião, rica de ensinamentos libertadores.
No dia 13, ficamos no lar, atendendo aos diversos compromissos e às 18h30, seguimos a Orly, a fim de participarmos da conferência na Casa de Redenção, dirigida pela consóror Isaura. Estiveram presentes 70 pessoas e Cláudia Bonmartin fez-se a lúcida intérprete ao francês do tema Vencendo a depressão, no qual Divaldo fez uma análise da melancolia desde os tempos de Hipócrates, num processo histórico até a descoberta dos neurônios e os estudos subsequentes. Referiu-se ao nome depressão, surgido no século XVIII, e às valiosas contribuições dos grandes cientistas Sigmund Freud, Jung, Adler, Emílio Kraepelin e os modernos psicoterapeutas, psicanalistas e psiquiatras.
Adentrou-se pelo complexo e delicado estudo em torno dos transtornos depressivos, narrando significativo caso de recuperação através da terapêutica espírita.
Encerrou a conferência, e, logo após, a pedido do dirigente, realizou um belo trabalho de vibrações, quando foi concluído o significativo labor.
Antes e depois, esteve autografando livros e outros materiais de divulgação do Espiritismo.
Ao retornarmos ao lar, tivemos a grata surpresa de encontrar os queridos amigos-irmãos Drs. José Francisco e Maria Isabel (Becas), que vieram especialmente do Algarve (Portugal) para participar do labor na França.
No dia 14, seguimos a Nantes, doze pessoas, numa viagem pelo TGV com duração de duas horas.
Fomos recebidos por Brigite Buot, presidente do Centre Spirite Nantais Allan Kardec e outro jovem que nos conduziram ao Hotel Mercure, na gare da estação, onde teve lugar a conferência, cujo título foi Transição planetária, tema portador de interesse geral em diversas cidades dos países da programação.
Estiveram presentes 78 pessoas, sendo 70 franceses e a tradução esteve a cargo de Cláudia Bonmartin, que foi muito feliz.
Divaldo fez uma abordagem que a todos agradou, especialmente com a apresentação do Power-point exibindo lindas fotografias do Cosmo, das galáxias, e os dados astronômicos relatados fascinaram o auditório.
Depois de 80 minutos, houve um intervalo e, de imediato, as perguntas que criaram um ambiente de simpatia e de júbilos comovedores.
Ao encerramento, o aplauso foi demorado, e logo nos dirigimos à gare para o retorno a Paris.
No dia 15, passamos a manhã em atividades doutrinárias, seguindo ao auditório às 14h para a conferência na sala de 10. Rue Fulton, 75013, sobre o tema Transition Planétaire, com tradução de Cláudia Bonmartin, para um público de 140 pessoas, algumas das quais sentadas no solo por falta de espaço.
Divaldo, utilizando-se do Power-point, fez algumas abordagens a respeito do período que estamos vivendo e dos desafios deste momento, analisando ciência, filosofia e religião, utilizando-se de dados astronômicos, especialmente detendo-se nas referências filosóficas de Allan Kardec para tornar clara a mensagem. Por 80 minutos manteve o auditório atento, facultando uma pausa de 30 minutos, após a qual atendeu a perguntas verbais com incomum habilidade, sendo demoradamente aplaudido. A reunião foi presidida por Anita Becquerel, que apresentou diversas explicações doutrinárias.
A fim de participar da jornada, a partir dessa data, chegaram os amigos de Réus (Espanha), Manuel, Loli e duas senhoras, assim como participaram da conferência pessoas que viajaram de diversas cidades da França, especialmente de Tours e Dunquerque...
Ao retornar, volvemos ao lar profundamente emocionados com os maravilhosos resultados advindos do trabalho, encerrando-se a breve temporada na França.
 
BRUXELAS E LUXEMBURGO
 
No dia 16, pela manhã, com Armandina e Dominique rumamos a Bruxelas, onde já se encontravam Zelina e outros amigos que viajaram na véspera.
Fomos hospedados na residência de Charles e de Graça Melo, como das vezes anteriores.
Às 18 horas, seguimos ao Centre d´Etudes Spirites Allan Kardec, onde teve lugar a conferência sobre o tema  A vida feita em luz e o suicídio em trevas.
A abordagem feita por nosso irmão foi comovedora, aprofundando os estudos em torno da vida e o seu milagre existencial, a evolução do ser e o abismo da rebeldia em forma de suicídio. Divaldo narrou a dolorosa experiência em sua família, quando Nair, sua irmã, suicidou-se, ingerindo alta dose de veneno letal em 1939 e as dores que se abateram sobre a família. Demonstrou que o suicida é profundamente egoísta porque não pensa nos danos que causa aos seus afetos, fugindo para lugar nenhum através da autodestruição carnal.
Explicou com detalhes o que aguarda o Espírito daquele que fugiu da realidade, os gravames para o futuro e também as causas de tão hedionda conduta, incluindo as obsessões.
O auditório manteve-se comovido e Cláudia Bonmartin, que viajou de Paris para este fim, o da tradução, esteve à altura do cometimento.
Houve um breve intervalo seguido pelas perguntas e as respostas.
Após um breve lanche rumamos a Luxemburgo onde chegamos a 1 h da madrugada, hospedando-nos no Mercure, como sucedeu nas vezes anteriores.
No dia 17, pela manhã, saímos um pouco, a fim de cuidarmos de alguns detalhes e fomos almoçar na residência da Zelina, na cidade de Elch, ali encontrando Euda Kummer – que veio de Mannheim especialmente para a conferência e viajamos à sua residência, na Alemanha – assim como se fez presente Cláudia Bonmartin. Também Edith Burkhard, de Winterthur, na Suíça, que já se encontrava em Mannheim, foi ter conosco, constituindo-nos uma grande emoção. Igualmente, lá se encontravam os amigos da Espanha, que nos acompanharam e participaram do ágape que transcorreu em alto clima de fraternidade.
Às 18h, Divaldo proferiu a conferência no magnífico edifício do Centre Culturel de Limpertsberg,  no coração da cidade, em uma sala moderníssima com todos os equipamentos necessários. Foi a mesma do ano passado. Estiveram presentes 126 pessoas de diversas cidades, pois que Zelina imprimiu 100.000 folders  e os distribuiu em todo o país através dos Correios.
O tema proposto foi A mediunidade com Jesus, ensejando ao orador uma análise do fenômeno mediúnico desde o homem primitivo na caverna, passando pelos povos da antiguidade oriental, narrando fatos históricos comovedores e culminando com o lançamento de O Livro dos Médiuns, por Allan Kardec, no dia 15 de janeiro de 1861, com as suas abalizadas opiniões e orientações aos médiuns e aos evocadores. Após 70 minutos houve a pausa habitual, na qual foram servidos lanches a todos os presentes, gratuitamente, e logo tiveram lugar as perguntas e respostas por mais trinta minutos.
Ao encerramento, com estrondosa ovação, houve um lanche especialmente para nós, os visitantes, e viajamos com Euda, Edith, Dominique e Armandina com destino a Mannheim, em duas horas de automóvel, aonde chegamos à 1h30 da manhã para a hospedagem no lar dos Kummer, onde sempre ficamos, e o necessário repouso.
 
MANNHEIM/ALEMANHA
 
No dia 18, pela manhã, embora o natural cansaço, ficamos em casa. Ao meio-dia os amigos do Brasil vieram almoçar na residência dos Kummer: Jorge-Lúcia, Délcio-Carmen, Paulo-Rosane e Jaqueline – todos do Rio Grande do Sul – ensejando-nos uma encantadora convivência fraternal. Às 16h30 minutos, rumamos a Stuttgart, para as comemorações do 10º aniversário do Studienkreis Allan Kardec Gruppe – Grupo de Estudos Allan Kardec – dirigido pela consóror Maria Gekeler, igualmente presidente da Federação Espírita da Alemanha. O grupo fundado por nossa amiga foi o primeiro a conseguir reconhecimento das autoridades alemãs e encontra-se numa bela sede com placa à porta...
Às 19h, após a apresentação de três excelentes números de canto com acompanhamento ao violão, iniciou-se a solenidade que contou com 121 pessoas de diferentes cidades e países: França, Bélgica, Luxemburgo, Suíça, Brasil, Portugal, Áustria, Nigéria e Alemanha.
Divaldo foi apresentado em alemão, sendo-lhe passada a palavra para a abordagem do tema Libertação do sofrimento.
Fazendo um estudo do sofrimento sob os pontos de vista moral, emocional, orgânico, social, mental, nosso médium recorreu às Quatro nobres verdades  do budismo, depois situando a missão sublime e libertadora de Jesus em perfeita consonância com os ensinamentos do Espiritismo, durante 80 minutos. Edith Burkhard fez excelente tradução ao alemão, incluindo a Oração da gratidão, que a todos fascinou, ensejando demorado aplauso.
Não houve perguntas, e sim, autógrafos, comentários e agradável convivência.
Divaldo foi convidado para ser o orador do Congresso Nacional de Espiritismo, já programado para o dia 19 de maio de 2012, por sugestão de todos os grupos da Alemanha, sendo aceito caso ainda se encontre reencarnado, conforme acentuou o médium baiano.
Logo após, retornamos a Mannheim com os amigos franceses, Edith e os gaúchos, chegando à meia-noite.
Divaldo concedeu uma entrevista à Rádio Brasiversum Hertz Show durante dez minutos.
 
FRANKFURT/ALEMANHA
 
No dia 19, após a convivência com os amigos brasileiros na residência da família Kummer, seguimos, às 17h a Frankfurt, a fim de atender a programação elaborada.
A conferência teve lugar no mesmo auditório do ano passado, para um público de 102 pessoas, incluindo-se a presença do Sr. Cônsul Geral do Brasil, Dr. Cezar Amaral, e dos amigos que nos têm acompanhado, vindos de outros países.
O tema que havia sido proposto a Divaldo foi Conflitos existenciais, que o orador abordou de maneira sábia estudando a problemática do ser humano, que é ele mesmo, depois analisando-o sob os pontos de vista filosófico e psicológico, para logo estudá-lo sob os aspectos moral e religioso, culminando com as notáveis psicoterapias apresentadas por Jesus e pelo Espiritismo.
O auditório manteve-se em júbilos e expectativas durante os 70 minutos que durou a conferência sob tradução ao alemão da nossa querida Edith.
Houve o intervalo convencional e foram apresentadas perguntas que Divaldo respondeu com incomum sabedoria, após as quais foi encerrado o ágape que esteve a cargo do Grupo de Estudos Espíritas Allan Kardec, fundado e dirigido pela nossa consóror Norma Buss.
 
Nilson de Souza Pereira.
Fonte: Presença Espírita – Encarte Especial – julho/agosto 2011.
Em 01.09.2011.
 
     
 
 
 
. Últimas Notícias

 
 
 
Documento sem título