. : Notícias
busca por notícias/mensagens
 
 
 
 

Divaldo Franco, Cidadão Cearense


Entre os dias 3 e 5 de dezembro de 2010, no Centro de Convenções Edson Queiroz, em Fortaleza, realizou-se o XIV Congresso Espírita do Estado do Ceará.

 

Com o tema central O Espiritismo e os desafios do novo milênio, o evento teve como palestrantes: Divaldo Pereira Franco e Marcel Mariano, da Bahia, Sandra Borba (RN), César Perri (DF) e Raul Teixeira (RJ).

 

O encontro, que teve um público de duas mil e quatrocentas pessoas, foi idealizado a fim de celebrar os 20 anos de fundação da Federação Espírita do Estado do Ceará (FEEC) e o centenário do surgimento do Centro Espírita Cearense, a mais antiga sociedade espiritista local em funcionamento, fundada pelo inolvidável Manoel Vianna de Carvalho, em 19 de junho de 1910.

 

Os presentes puderam testemunhar momentos inesquecíveis de muita fraternidade. Além da presença de mais de trezentos jovens, participantes do congresso de juventudes do Ceará que aconteceu em outro salão do mesmo prédio, o evento recebeu, também, a ilustre visita do Sr. Fernando Carvalho, de São Paulo, bisneto de Vianna de Carvalho.

 

Por fim, no encerramento do conclave, na tarde-noite de domingo, o Dr. Bezerra de Menezes, através de Divaldo Franco, emocionou a todos com uma encantadora mensagem.

 

No entanto, um momento inesquecível e que entrou para a História do Espiritismo no Ceará, deu-se na tarde da sexta-feira, dia 3, quando em solenidade no Plenário 13 de Maio, da Assembleia Legislativa do Ceará, Divaldo Franco foi homenageado com a concessão do título de cidadão cearense. A ideia partiu dos trabalhadores da FEEC, aproveitando a presença do médium baiano que, há quase seis décadas, tem visitado a Terra da Luz.

 

Através do ex-deputado Osmar Diógenes, a proposta foi apresentada ao deputado Domingos Filho (PMDB), presidente da Assembleia, recém-eleito vice-governador do Estado.

 

Domingos Filho acolheu com alegria a iniciativa. Em seu discurso, ressaltou que muitos são os caminhos do bem, ainda que alguns o tomem através da filosofia e da literatura, mas (...) um dos mais belos caminhos desse apostolado é o dos missionários e dos grandes pregadores da palavra de Deus, dos que entregam sua força de trabalho e inteligência à missão de esclarecer, desenvolver e propagar pelo mundo os santos ensinamentos da Grande Verdade.

O parlamentar destacou que o Ceará considera, hoje, Divaldo Franco um benemérito da humanidade e o toma como filho honorário, por meio do colegiado que é a Assembleia.

 

Sabemos dos benefícios sociais e espirituais que este apóstolo do Espiritismo tem prestado tanto aos adeptos de sua doutrina, quanto ao povo do Ceará. É  um amigo antigo, observou o presidente da Casa.

 

Em sua breve e emocionada alocução de agradecimento, Divaldo asseverou que, ao saber que a Assembleia Legislativa o honraria com o título de cidadania das terras amenas e românticas de Iracema, procurou fazer uma avaliação restropectiva. Depois de um exame apurado, cheguei à conclusão de que não merecia esta homenagem, porque toda a minha existência tem transcorrido sob as luzes da Doutrina Espírita. Não fosse o Espiritismo, essa filosofia e religião ético-moral, certamente eu me teria apagado no anonimato em que as pessoas simples e modestas se localizam, acrescentou.

 

Afirmou, ainda, que o Espiritismo é, em sua existência, a bússola que o guia na direção do porto da plenitude, sem a qual ele se encontraria perdido no oceano da inquietação e do desequilíbrio. Avaliei também, qual seria minha conduta diante da gentileza do presidente desta Casa e de seus pares. Dei-me conta de que não era a mim a quem se prestava essa homenagem, mas a uma Doutrina que vem libertando milhares de criaturas com transtornos psicológicos e oferecendo a certeza da sobrevivência da alma.

 

Divaldo concluiu rememorando e homenageando Bezerra de Menezes, Vianna de Carvalho, ilustres filhos do Ceará, bem como a outros trabalhadores contemporâneos do Movimento Espírita local, já domiciliados no Mundo Espiritual, que muito concorreram para a concessão de título tão honroso. Por fim, recitou visivelmente emocionado, o poema Gratidão, da poetisa Amélia Rodrigues.

 

A solenidade contou com a presença de inúmeros visitantes ilustres, destacando-se, entre eles, os deputados estaduais Nelson Martins e Artur Bruno do PT, o deputado federal Chico Lopes do PC do B. Os conferencistas José Raul Teixeira e Marcel Mariano também estiveram presentes.

 

Antes da conclusão dos trabalhos, o deputado Artur Bruno, recém-eleito deputado federal, pedindo a palavra, afirmou que a honra da concessão daquele título era bem maior para aquela Casa do que para o próprio Divaldo. E fez um pedido ao médium para que não deixasse de enviar à população cearense as substanciosas mensagens mediúnicas que são já há alguns anos publicadas, aos domingos, no jornal O Povo, de Fortaleza.

 

Fato curioso e raro de acontecer, segundo Domingos Filho, foi o da aprovação unânime dos parlamentares quando da apresentação da proposta. A Lei nº 14.494, de 29 de outubro de 2009, de autoria do deputado Domingos Filho, que concede o Título de Cidadão Cearense a Divaldo Pereira Franco, foi publicada no Diário Oficial do Estado do Ceará de 17 de novembro de 2009.

 

Luciano Klein Filho.

Fonte: Revista Espírita, janeiro/fevereiro de 2011.

Em 18.03.2011.

 
     
 
 
 
. Últimas Notícias

 
 
 
Documento sem título